terça-feira, 18 de janeiro de 2011

«EDUÍNO DE JESUS ESCREVEU»

O título do post é compasso no ar. Para vir, neste seguimento, ao início de um parágrafo de Onésimo Teotónio de Almeida no Posfácio a Os Silos do Silêncio de Eduíno de Jesus:


«Se não existe ainda uma História da Literatura Açoriana, Eduíno de Jesus escreveu para ela alguns capítulos fundamentais (…)».

Sendo interpelado, pelo comentário de Daniel de Sá e directamente  por um outro, em privado, de Miguel Ribeiro,  a adiantar algo mais sobre o poeta Raposo de Lima, dada aquela referência que lhe fiz a partir da leitura de uma carta de Cecília Meireles, é pouco mais o que….
Mas é tocante. E trouxe-me a este Posfácio de Onésimo Teotónio de Almeida, que releio hoje, 18 de Janeiro,  com especial intenção.


«Tinha havido o 1.º Grupo d’A Ilha formado durante a Guerra: Egito Gonçalves e Vergílio Filipe, em serviço militar, e Silva Duarte (todos continentais) e, também um ou outro açoriano.

Teríamos/tivemos/teremos muito que conversar, a propósito. E, quando «tivemos», uma das vezes foi um momento único: com Silva Duarte, que lá continua a viver em Wursburg a sua bonita idade: vai nos 93!   Encontro momentoso, eu vi!,  em 2001, aqui em Setúbal, terra natal do conhecido andersanista, cuja obra poética muito desejo que venha a ser conhecida devidamente. É que vale bem a pena. O que se pode fazer?



Mas agora o pormenor é outro. Vou pedir, para ele, a atenção de Eduíno de Jesus: a altura do 1.º Grupo d’A Ilha, a juvenil e empenhada curiosidade dos quinze anos que dedica ao movimento literário de Ponta Delgada nessa primeira metade de quarenta.


Tenho diante de mim e guardo-a desde Agosto de 1951, os meus quinze anos, uma brochura com estes dizeres na capa:

Carlos Tomé
EDITOU
ESTA
MISCELÂNIA
DE PROSA E VERSO
NO ANO DE 1943

Agora, vou abrir:
páginas 1, 3 e 5:

1
Carlos Tomé
apresenta
3
EGITO GONÇALVES
GUSTAVO DE FRAGA
J. M. CAMILO DE MELO
LOPES DE ARAÚJO
LOPES DE ALMEIDA
RAPOSO DE LIMA
e
VÍRGÍLIO DE OLIVEIRA
em

5
Miscelânea
de prosa e verso

UM TRABALHO TIPOGRÁFICO DAS
OFICINAS DO «CORREIO DOS AÇORES»

São 128 páginas.
Raposo de Lima, da página 93 à 106, aparece com «LINDA AVENTURA – NOVELA» e dois sonetilhos, «QUEM FEZ A VIDA ASSIM?…» e «RI, PALHAÇO, RI…».

Voltarei  a uma«especial intenção…».
- ?

 - «Eduíno de Jesus escreveu…»:
Quantos mais capítulos da História da Literatura Açoriana pode escrever, melhor do que ninguém, o nosso Eduíno de Jesus?  Se é só pedir-lho, os nomes e data de «MISCELÂNIA» aqui vão. A pedir!
L. V.

1 comentário:

  1. Sou neto do Carlos Tomé aqui referido e há muito que procuro adquirir um exemplar dessa "Miscelânia de prosa e verso", tendo, até, feito publicar anúncios na imprensa regional.
    Para além da emoção que sempre me provocam evocações desse avô que não cheguei a conhecer, mas de quem muito ouvi falar, este "post" dá-me uma nova esperança.
    Alguém aceita vender-me um exemplar que tenha?
    Se sim, ligue, por favor, para o 91 734 11 60.
    Pedindo muita desculpa a Manuel Pereira Medeiros pelo abuso, desde já agradeço.

    ResponderEliminar