terça-feira, 29 de março de 2011

III ENCONTRO LIVREIRO–25.Março.2012 (1)

Já vou agarrar em meu chapéu e em minha bengala para ir, como devo, ao encontro de quem, depois de eu antes ter insistido tanto em falar do II Encontro Livreiro, agora espera, com todo o direito de mo exigir, que diga como senti, vivi e vi esse tão bonito quão simples acontecimento.
Antes do blogue, porém, devo dar atenção aos mails. Posso?

Mensagens anónimas? De modo algum! De pessoas muito amigas. Mas aqui, perdoem, passam a sê-lo: anónimas, para que todas as outras não se ofendam, por excluídas. 

Achei que me seria permitido vir trazer aqui o que seleccionei de quatro das mensagens-mail recebidas entre domingo e hoje, 29. Com o objectivo último de moderar a minha emoção ao ver quantos e quanto compreenderam que a iniciativa destes encontros era de levar a sério. Moderá-la antes de  escrever sobre o futuro encontro, em 2012, partindo do que foi este, que já passou, o do «último domingo de Março» de 2011.

1
Bom resto de domingo, bom encontro setubalense.
2
Espero que o pessoal de Setúbal diga qualquer coisa. Não foi possível ir, mas estou convencido que deve ter sido bom.
3
Gostava de ter lá estado e assistir à tua qualidade de anfitrião. Vou esperar pela publicação no blog.
4
Manuel,

Já vi que foi em grande. Parabéns!
Agora descansa e bebe uns copos.

Peço desculpa de ter bebido antes de descansar.  Antes de  descansar! Vir aqui mal me despedi dos últimos amigos a partir! Quem de longe queria saber do  II Encontro Livreiro, vem dizer que só depois devia beber: «descansa e bebe». Toda a razão! Mas só o compreendi agora. Antes não fui capaz.

Mas também…
Como é que, na hora certa de oferecer o meu prometido Moscatel,  não o beberia em alegria com os que quiseram e puderam vir beber comigo? 
E foi por isso:
em vez de «descansa e bebe», foi bebe e descansa. E... Não sei se foi por isso... Quem viu tudo tem mesmo que vir dar opinião sobre esse e outros pontos...

Não acreditem, por favor, que haja nisto humor, quer dizer, um humor de qualidade. Esse lvem logo a seguir ao «descansa e bebe» da mensagem.
É aquela de um engenheiro químico. Quando chegou à reforma especializou-se em  reacções químicas de cerveja, vinho e vodka nas suas próprias entranhas, à falta dos laboratórios em que deixara de trabalhar.
Que belo exemplo, e que grande amigo meu, este meu amigo! Como ele me compreende! Cerveja, vinho, vodka!

Mas também…
Como é que, dada a minha especialidade, vou deixar de me embebedar destes meus interesses e paixões pelos livros, pela leitura, pela livraria como oficina de leitura, pela cooperação das profissões do livro, pelo entendimento que permita às Gentes do Livro cumprir com a parte que lhes compete e que considero indispensável, no urgente progresso da inteligência, essa intimidade do homem consigo, com os outros e com o Universo… 
A caminho de uma era da Humanidade tão espantosa
quanto a Noosfera a promete ao Futuro!
L. V.

P. S.
Vou rever os rabiscos que sobre o Encontro já fui escrevendo nos rascunhos. Depois volto aqui. 
Peço é que, entretanto e sobretudo, não percam de vista o nosso-vosso blogue «encontrolivreiro.blogspot.com».
Logo aí já se vê muito e a palavra de Luís Guerra no domingo eo primeiro post sobre o Encontro, da Sara Figueiredo Costa...  Apesar de ter ela muito mais que fazer do que eu, está feito. E é de excelente profissional do jornalismo cultural. Concordem, por favor.
L. V.

1 comentário:

  1. Embebedemo-nos pois dessa paixão comum. Obrigada, Livreiro Velho, pelo encontro e por tudo o resto.

    ResponderEliminar