domingo, 3 de abril de 2011

“NUNCA DISSESTE TÃO BEM O QUE ME VAI NO FUNDO DA ALMA” (HOLDERLIN)

ABRIR os livros
Vieram ter comigo por esta ordem:
-com o Diário, Sebastião da Gama;
-com o Hipérion, F. Holderlin;
-com A Estrada Fascinante, Matilde Rosa Araújo;
-com A Educação do Sentimento Poético, Jacinto do Prado Coelho.
No prazo de…?
Faz impressão!
Fazem sempre impressão, quando acontecem assim, as coisas:
um prazo não superior a dez dias.
1
« O Poeta beija tudo, graças a Deus… (…) E diz assim: “É preciso saber olhar…” (…) E levanta uma pedra escura e áspera para mostrar uma flor…».

Por favor, nestes dias de começar Abril releiam o Diário e levem-no até à Arrábida, no próximo domingo, dia 10.
Porquê no dia 10?
Desculpem… Respondo depois,se recuperar a fala. Não é fácil…
2
«Deixai, desde o berço, o homem à vontade! não expulseis o seu botão fortemente unido, não o expulseis do refúgio da sua infância!
(… )
O homem é um deus, logo que é homem. E ao ser um deus, é belo.
(…)
A primeira filha da beleza é a arte».


Por favor…
Um obra que levou duzentos anos a ser traduzida e editada entre nós! Se ainda não deu por ela, por favor… Talvez conclua com Diotima: «nunca disseste tão bem…».

Pela estética é que o futuro será ético?
«O homem, recomecei, que não tiver sentido, pelo menos uma vez na vida, a beleza em toda a sua plenitude (…), o seu espírito não foi feito sequer para a destruição, para não falar de construção.»
3
A citação, por ontem ser o dia que era,de A Estrada Fascinante de Matilde Rosa Araújo (também na Trofa ontem, 2 de Abril, a ser homenageada!!!), volto hoje a lê-la: 
«Sei, (…) que não posso separar a literatura infanto-juvenil da existência da criança (…)».  

E também Antero aqui a chegar-nos em citação de Matilde:
«Para uns entezinhos para quem tudo é movimento e imaginação, a escola, se não for jardim, será só prisão, a doutrina, se não for encanto, será tortura»
4
Matilde Rosa Araújo dedicou A Estrada Fascinante a Jacinto Prado Coelho. Quem me emprestou, quando esgotada, esta obra do eminente professor de literatura, foi a Matilde. Talvez por isso de ontem para hoje a lembrança e o desejo de juntar às anteriores esta releitura de A Educação do Sentimento Poético.
«Quem possui alguma intuição poética, (…) pode compreender como as coisas belas são morais e são verdadeiras (…).
(…)
Agora podemos concluir: se a arte é uma revelação da vida, e se a educação é uma preparação para a vida, não se compreende uma educação que não seja estética».
FECHAR o post
Comentar estas ideias sobre arte, beleza, poesia, estética? 
Não me atrevo, sobretudo aqui e agora. Entendo que me compete fechar sem o mínimo ruído, para não distrair quem porventura tenha já nas mãos algum destes livros que…
L. V. 

Sem comentários:

Enviar um comentário