domingo, 1 de maio de 2011

AÇORES, MAIO, SETÚBAL: «um extraordinário momento»

Este ano, o dia 29 não cai num sábado, mas num domingo. Tal como hoje, o dia 1.
Portanto, teremos sábado a 28. Se tudo correr como já está previsto, vai ser outra vez «um extraordinário momento» de um novo «Mar-a-Mar Açores-Setúbal, que se espera tão vivido ou mais ainda do que o de 2004.
Fazem favor: anotar na agenda que a tarde de sábado a 28 do corrente mês de Maio é na Culsete, aqui em Setúbal!

I
Trazer ao título «um extraordinário momento» quando vinha de  ler esta expressão fazem favor de ver aonde:

«O arquipélago dos Açores vive um extraordinário momento de grande transformação que vai além de obras edificadas em todas as ilhas, oferecendo uma melhor qualidade de vida para a população e um maior desenvolvimento dos espaços insulares. Por todos os lados observa-se um crescente processo de interação com o mundo exterior expandindo-se em convivências sociais globais. Busca-se a identidade aberta, a transnacionalidade cultural e o continuado reconhecimento da existência de Diásporas, na diversidade da sua dispersão geográfica e no desenho dos traços culturais que caracterizam a vida das comunidades que as constituem».
LÉLIA NUNES
Professora universitária
Ilha de Santa Catarina, Brasil
http://www.mundoacoriano.com/index.php?mode=noticias&action=show&id=69

II
E, já agora
A  seguir tinha ido por recordar esse tal 29 de Maio de 2004 (Papel a Mais, pág. 229):

«Mar-a-Mar Açores –Setúbal.
(…)
Quem adivinhasse teria pedido licença a Bruno da Ponte para gravar a sua intervenção. O editor das Edições Salamandra com dados importantíssimos para inscrever na História da Literatura Açoriana e não só.»

III
E se, já e agora (NB.: Chapéu e Bengala, postes de Janeiro de 2011) começássemos uma nova aproximação a Que Paisagem Apagarás de Urbano Bettencourt, tendo por pano de fundo toda a sua vasta e relevante obra, cujo primeiro título, Raiz de Mágoa, se publicou aqui em Setúbal na Primavera de 1972?
Os 40 anos de «vida literária» de Urbano Bettencourt em seu início.
E em Setúbal esse início a ser marcado por um «extraordinário momento» de encontro de Literatura Açoriana  em Literatura Portuguesa (Tem de ser!).
IV
Setúbal, sábado à tarde, 28 de Maio de 2011:
Apresentação por Urbano Bettencourt do seu livro Que Paisagem Apagarás, um dos melhores livros da melhor literatura portuguesa publicados em 2010
(Mas nos Açores! Mas nos Açores!)…
  
E o livro já está disponível na Culsete, se  também isso desejam saber!… 
L. V.

2 comentários:

  1. Caro Livreiro Velho,
    É bom «regressar a casa», não por causa do primeiro livro em si, mas do último. Daquele, fica apenas a primavera de 72 como um marco temporal e o arranque da coisa; fica também o gesto do Livreiro que o pôs a circular. O resto são circunstâncias. Obrigado, mais uma vez e um abraço.
    Urbano

    ResponderEliminar
  2. Caríssimo L.V.

    É salutar saber que a expressão "extraordinário momento" inspirou o título da nota acima ou melhor serviu para dar ênfase a relevância do memorável evento que reunirá gente das letras (e não só) em torno de Urbano Bettencourt e seu recente livro - "Que Paisagem Apagarás?"
    É mesmo extraordinário...O autor,o livro,a Livraria Culsete, Setúbal e,claro, o momento,no próximo dia 28.
    Um abraço
    Lélia PS Nunes

    ResponderEliminar