quarta-feira, 1 de junho de 2011

NADA DISTO FAZ FALTA - III

1
como é que se faz para encarar as coisas como deve ser  se a vida sem a bebedeira das ocupações habituais e normais fica num nível de ilusão muito baixo e  a esse nível custa que é fogo manter o frágil equilíbrio quão frágil equilíbrio que é o que agora é possível e absolutamente indispensável para se viver em positivo na continuidade sendo que é nesta continuidade que a vida se define e se afirma 

2
«a vida continua» é uma conversa de «olha para o que te deu» quando se põe uma pessoa a perguntar quem a diz e quando

3
«encarar» pode ser para quando acontece um dar de caras com o que  ou com quem se encontra de surpresa  mas também para quando com simplicidade e firmeza se levanta a cabeça  de olhos abertos ou fechados muitas vezes para ver melhor vale a pena fechá-los perante a verdade nua e crua da vida em continuidade de fragilidades irreversíveis

4
um dois três do princípio outra vez e de novo em última linha o outro na sua  rotina de «vira o disco e toca o mesmo» a dizer-te que «nada disto faz falta»
V.L.

Sem comentários:

Enviar um comentário