domingo, 5 de junho de 2011

SILVA DUARTE: um poeta setubalense que…(1)

IM001094CULSETE, 19-4-2002: SILVA DUARTE NA SESSÃO DE ENTREGA À EDITORA GAILIVRO REPRESENTADA POR PEDRO REISINHO DOS ORIGINAIS DA TRADUÇÃO DE CONTOS COMPLETOS  DE H. C. ANDERSEN

Se me é permitido, começo por nada contar nem comentar, a não ser que,  longe daqui, Setúbal, onde nasceu a 5 de Junho de 1918, e já muito longe de si – como isto custa… –,  Silva Duarte faz hoje 93 anos e merece maior homenagem do que aquela que aqui sentidamente lhe venho prestar, antes de mais oferecendo a quem os quiser apreciar alguns inéditos que guardo e que guardarei até que…
As páginas indicadas são as do original dactilografado com as páginas numeradas à mão e fotocopiado.

DO LIVRO DAS TUAS NAVEGAÇÕES – I

depois da noite serena perante a afirmação pálida da manhã quase sumidas as estrelas ouves a melodia das vagas nesta primeira hora do dia quando vai o sol brilhar e água serás serás vento serás mar na doce manhã iluminada
(pág. 14)

e quando foi a hora chegada afundou-se o templo com suas colunas sagradas que sustentaram a fé tombadas suas pedras mudas no fundo do mar mais não foram os deuses escutados mergulhados ficaram fundamente para sempre suas divindades no mar perdidas em profundezas silentes
(pág. 16)

olhas e ouves o mar esta noite com seu obscuro rolar de eterno significado e crês-te longe muito longe nesta noite de sortilégios e grandes mistérios quando toda a extensão do mar que percorres se ilumina da tua fantasia sobre as ondas que jamais se sustêm
(pág. 38)

O livreiro velho foi lendo hoje esta poesia ( este Do Livro das Tuas Navegações tem sete partes e há, para além dele,  os outros vários títulos)  fingindo que não sabe a resposta para a seguinte pergunta: como é possível que poesia desta qualidade não esteja publicada?

É, sim. É o mesmo Silva Duarte das traduções de H. C. Andersen e de outros autores de línguas escandinavas. 
E posso contar algo mais,
se…
L. V.

Sem comentários:

Enviar um comentário