terça-feira, 27 de setembro de 2011

Caderno de SIGNIFICADO - III

http://comunidade.sol.pt/blogs/josecarreiro/archive/2007/02/21/pai.aspx
Ponta Delgada, 20 de Fevereiro de 2006.

Hoje, quando fui à visita das 20h, encontrei-o amarrado. Tiveram de o imobilizar, pois ele queria retirar os tubos de oxigénio e de soro. Queria vir-se embora, tresvariava, não sabia onde estava, referia factos e pessoas que só ocorreram na sua mente. Meu pai está no fim. Se estivesse consciente, estaria triste com a sua situação; contudo, como está a viver de ilusões mentais, isso liberta-o da tristeza consciente e dá-lhe outras preocupações que só poderiam ocorrer se tivesse uma vida activa.

Enquanto fala, coloco, instintivamente, a mão sobre a cabeça. Os cabelos brancos. É meu pai.

Que impoder.

Sem comentários:

Enviar um comentário