quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Caderno de SIGNIFICADO - VI

1
É só
porque se este comentário passasse despercebido também a notícia que dá poderia passar:
Guerra nos Bofes – Diário de um Paciente 2.

O José Guilherme/André Moa escreveu um belo diário da sua insana luta contra dois cancros. Se ele fosse um autor famoso, o livro teria sido um êxito de vendas. E a crítica teria dito maravilhas. Assim, só um crítico aproveitou para fazer um brilharete tremendamente injusto. Injusto mesmo porque o livro vale de verdade.
O Zé Guilherme tinha pronto um segundo volume para o qual o Olegário Paz escreveu um prefácio com o nível do primeiro, pois também escrevera um. O clima editorial está muito mau, como todos sabemos, mas será uma pena se esse volume não for também publicado.
Abraço.
onésimo
http://chapeuebengala.blogspot.com/2011/10/um-dito-titulo-postumo-e-lido.html#comments

2
É só
porque esta palavra está na sinopse que vem anexa ao reclame do
Mau Tempo no Anal – Diário de um Paciente.

André Moa nunca se perguntou, desesperado: «Porquê a mim?» Na verdade, consciente de que a doença pode bater à porta de qualquer um e de que a dor nos acompanha desde o parto, preferiu perguntar- se, com toda a serenidade: «Porque não a mim?»
http://www.wook.pt/ficha/mau-tempo-no-anal/a/id/1979280

3
É só
porque queremos que, quanto antes, o livro nos venha às mãos, que já estamos a ler o prefácio de Olegário Paz.

«
GUERRA NOS BOFES - Diário de um Paciente 2 - reporta-se ao ciclo em que o cancro se alojou, como metástase, nos pulmões e só nos pulmões». Estas afirmações leem-se no princípio e no fim de três anos e vinte e cinco dias da vida do diarista aqui registados, de 12 de dezembro de 2007 a 7 de janeiro de 2011, e dizem bem da razão de ser deste diário (…)
http://www.rtp.pt/icmblogs/rtp/comunidades/

4
 É só
por aqui não se está a insistir. Simplesmente a existir . C
om sentimentos guardados. Não apenas com acontecimentos que passam.

L. V.

Sem comentários:

Enviar um comentário