terça-feira, 1 de novembro de 2011

POR AMOR À ARTE - II

«Um livreiro não vende livros!
Um livreiro vende muito mais,
numa caixa chamada livro».

Eu volto, espero voltar, ao texto aonde fui por estas palavras, melhor dito, por esta bandeira, a qual gostaria de ver à frente de um exército, como naquela estória de «O Decepado» da História de Portugal. Não para a algum alferes-mor lhe serem cortadas as mãos mas para que as Gentes do Livro se quisessem entender, ao menos aqueles que estão nisto, antes de mais, por amor à arte. Ou é melhor perder as mãos vencidas já que continuamos sem nos unirmos? No Congresso do Livro também coube um apelo a darmos as mãos… Mas como, se…?! 


Se lá não foi ainda, ao ISTO NÃO FICA ASSIM, pode ir agora. Não estou a recomendar, estou a pedir. Foi de lá que as trouxe, a estas palavras, e para lá devem regressar...         
http://encontrolivreiro.blogspot.com/
L. V.

Sem comentários:

Enviar um comentário