domingo, 6 de novembro de 2011

SE, PORÉM, A RAZÃO FOR OUTRA…

Terás as tuas razões para apreciar ou depreciar e usarás os adjectivos em conformidade.
Se, porém, a razão for outra, a verdadeira razão que justifica o que ouves ou vês ou se faz ou acontece…

Podes pensar, mas peço que não mo digas, que esta é uma conversa tola.
Não quero contradizer-te se assim pensares, mas também não seria belo concordar e continuar. 

Se, porém, a razão for outra, repito, em que é que isso altera o que se ouviu ou viu ou fez ou aconteceu? 
Não é que, em ordem ao melhor futuro das nossas coisas, não seja bom e necessário discutirmos. Mas isso obriga é a andar virado para a frente.

Além de pensares que esta é uma conversa tola, podes também estar para aí com uma tua razão explicativa do porque foi que me deu para ela. Se, porém, a razão for outra…
R. V.

Sem comentários:

Enviar um comentário