sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

DESORDENS & ABUSOS

,   ,   ,
,   ,   ,   , 
,   ,   ,   ,   ,
                                


O IGNORANTE 

E

AS VÍRGULAS

NUM

TANTO FAZ 
                       ,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,





















a um ignorante dá-lhe para esbanjar vírgulas,

uma loucura evidente,
as vírgulas devem ser usadas com respeito,
vê-se tanto quem não saiba usar as suas vírgulas,
só quem sabe é que sabe,
quem não sabe devia aprender,
depois seria então uma boa escrita,
mas só quem sabe é que aprende,
um dia ouviu-se um sábio a dizer «se não sabe porque é que pergunta?,
como é que se sabe se não é aprendendo?,  
isto é,
só se consegue aprender quando já se sabe,
na mesma,
porém,
é preciso aprender para saber usar as vírgulas,
o escritor ainda poderá ser anterior a si mesmo,
mas verdadeiramente anterior a si mesmo ninguém pode ser,
só que é necessário para se aprender alguma coisa,
o ignorante tem de aceitar isso,
sendo que é inaceitável,
não está bem,
tu lhe dizes que não vá por aí,
por onde irá?,
pergunto eu,
a resposta chega e diz que pela contradição,
pelo acaso,
pela beira da maré,
como os caranguejos,
os caranguejos é que aprenderam uma arte em que tanto faz,
andar para a frente é igual a andar para trás,
cuidado caranguejo,
fica-te à beira,
calhaus e o mar,
não entres nem te atrevas a sair,  
anda pela beira-mar,
para trás,
para a frente,
e tu ignorante,
como caranguejo,
para trás,
para a frente,
vai em aprender,
sem nunca saber,
pela parte das vírgulas,
atento ao que lês
L. V.

Sem comentários:

Enviar um comentário