terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Querenças do Sem-depois - II


NÃO DISSE PALAVRA
Pobre por inteiro
Bem o conhecia
Mas não por encontro
Até que houve um dia
Pobre e carecendo
Até das palavras
Os olhos fixou
Nos olhos que eu tinha
Sem nada mos deu
Os olhos de ver
Fixou os meus olhos
Não disse palavra
Foi quando aprendi
Que a ver como eu via
Uns olhos mais cegos
Ninguém nos teria
R. V.

Sem comentários:

Enviar um comentário