domingo, 11 de março de 2012

SÁBADO com MARIA TERESA HORTA uma bela tarde aqui na Culsete

image
Foto retirada de  http://casoseacasosdavida.blogspot.com

No próximo dia 17 de Março de 2012, sábado, pelas 16:00 horas, a Livraria Culsete abrirá as suas portas para um encontro com Maria Teresa Horta que virá falar da sua poesia, nomeadamente de As Palavras do Corpo, e da sua ficção, com destaque para As Luzes de Leonor e Novas Cartas Portuguesas. A apresentação estará a cargo de António Carlos Cortez. Aqui damos a informação. Vai confirmada no convite que agradecemos seja divulgado pelos amigos que este nosso blogue visitam.

Esta não é a primeira vinda de Maria Teresa Horta a Setúbal. Por cá passou no dia 26 de Julho de 1982, a convite do Grupo de Teatro TEIA, tendo integrado um ciclo de conferências intitulado «Conversas com…», realizado entre 24 de Julho e 8 de Agosto. Falou, segundo o jornal Nova Vida, da sua poesia e da condição da mulher no mundo, tendo encantado o público presente com a sua simplicidade e a sua facilidade de expressão. Afirmava ainda o articulista: “Já passava da meia-noite e ainda estávamos todos presos à sua palavra”.

A escrita literária de Maria Teresa Horta, cujo texto inaugural é de 1960 (Espelho Inicial, poesia), tem partilhado espaços éticos e posições ideológicas em concordância com a sua defesa coerente e firme dos direitos das mulheres.

Olhando a obra de Maria Teresa Horta, entre Novas Cartas Portuguesas, livro construído a seis mãos e ícone da escrita portuguesa no feminino, até As Luzes de Leonor (Prémio Literário D. Dinis 2011), em que encontramos a Marquesa de Alorna, “uma sedutora de anjos, poetas e heróis”, ou percorrendo a Poesia Reunida, onde estão incluídos os poemas de As Palavras do Corpo, encontramos uma voz autoral que reivindica para si o escrever acerca dos papéis e espaços sociais, políticos e intelectuais da mulher portuguesa, questionando-os, pondo a nu conflitos entre razão e emoção e assumindo o direito de falar do corpo e do desejo da mulher, através de uma gramática textual ímpar.

António Carlos Cortez é poeta, premiado. A sua leitura atenta irá certamente iluminar vários momentos da obra de Maria Teresa Horta.

Esta é, pois, mais uma sessão a não perder.
Contamos consigo!
Participe!

F.R.M./M.M.

Sem comentários:

Enviar um comentário