sexta-feira, 24 de agosto de 2012

CONCORDÂNCIAS

O INVENTO DA SHERAZADE
clip_image002Foto de Olegário Paz
amigos e amigas copiem do mestre e leiam comigo Se eu fora o anjo que tem,
entre as mãos, a cabeça adormecida,
saberia a fonte da palavra.
          Até dos céus me chovem rosas,
              brancas e vermelhas,
                  (Encarnadas)
          que me afogam de perfumes.
(1)
à sorte dominada hoje e atrelada entre os varais da minha carruagem confiante pedirei que me leve aonde se confirme o seu presságio de tempos tranquilos e sorrisos de crianças criando os novos universos do amor do bem e da beleza
em querê-lo o viva e creia na graça que me oferece este dia-mais destes dias sobre os dias em que fui
hoje nunca é apenas hoje pois que por ontem é que dele se veio a saber e em amanhã investido cá chegou este hoje porém é um dia que se afirma em único por ser um dia de sorte
convidei por isso a sábia e corajosa sherazade para ensinar aos meus amigos e amigas o segredo de contar as histórias que em felicidade e encanto mantenham em dia-mais os dias seguintes
dias seguintes a este dia em que digo dançai e em que a morte vencida se espera que vá desistindo de vir aterrorizar as manhãs
Com as flechas do amor      cravei o sol no peito. E rubras de calor      com elas morro. (2)
R. V.
(1) e (2) Silva Grelo, A Cidade e a Sombra
        

1 comentário:

  1. Enquanto formos tocados pela beleza das rosas, acho que o dia de hoje valerá a pena. Não precisa de convidar a Sherazade. Basta, RV, vir aqui com mais textos destes que falam do dia de ontem, mas também do de hoje e do próximo. Qualquer dia será especial, se trouxer rosas destas, em torno das quais poderemos dançar, mesmo que não o façamos.

    ResponderEliminar