sábado, 4 de agosto de 2012

QUERENÇAS DO SEM-DEPOIS

clip_image002 
FOTO DE ONÉSIMO TEOTÓNIO ALMEIDA – 3.AGOSTO.2012

O VER DE GALERA EM VERDE

 

a ilha por seu ilhéu

em seu mar como em espelho

a si se vê como é

e sua beleza  expande

 

nunca eu vou consentir

que o meu barco ao navegar

se esqueça de um longo aceno

aos encantos do seu verde

 

e um dia quando ele for

em sua aquela viagem

de que nunca voltará

vou guiá-lo para a ilha

 

feito de encalhe o abraço

ele e eu seremos dela

um pequenino pedaço

 

R. V.

2 comentários:

  1. Este poema irá para o album da Caloura que estou a preparar.
    Abraço.

    onésimo

    ResponderEliminar
  2. Não podia deixar de vir aqui. Quantas vezes, em tantos anos, esta imagem se reflectiu na retina de meu Pai? Quantas páginas de Era Uma Vez o Tempo ela suscitou?
    Ainda me dói a Caloura, mas amansa-me essa dor saber que este lugar do Faires é sentido dentro do coração dos seus amigos do coração.
    Obrigada aos meus queridos RV e Onésimo.

    ResponderEliminar