segunda-feira, 26 de novembro de 2012

CORRESPONDÊNCIA em CONCORDÂNCIAS

 clip_image002
Foto de FERNANDO SILVANO

deixa ir para dia anterior este domingo
25 de novembro de 2012
as emoções que te ofereceu
sendo já recordação nesse depois
e por essa via então suavizadas
em seu querer perturbar-te a visão
e mais assentes se possível
em sua força de humanidade partilhada

de nascente ou poente
de que lado mais beleza em sol no horizonte?

sendo o mais da pergunta indevido
na hora de um ou outro acontecendo
saberás dizer sim a quem disser
«que beleza!»

e se a pergunta voltar?
voltou? a pergunta voltou?
é sempre a mesma história ó mãe
esta crença em que o mundo «podia ser»
por ti e por mim continuo a acreditar na vida
em perspectivas de tão belo o nascer como o morrer
para quando for a beleza a definir a arte de viver
e acessível a todos se ou quando
por todos cultivada
R. V.

1 comentário:

  1. Gostei imenso, claro.

    A poesia, para mim, é sempre uma coisa que é depurada, que é a essência de tudo. Gosto tanto de poesia, eu, talvez porque escrevo muito, perco-me no meio do excesso. Quem domina a arte da poesia sabe resistir ao ruído, à profusão, sabe descarnar e ficar-se pela essência.

    Presumo que depois de escrever assim, um poema assim, se deve ficar muito feliz.

    ResponderEliminar