domingo, 30 de dezembro de 2012

CONCORDÂNCIAS


clip_image002
 clip_image004 clip_image006

 
ATENÇÃO DEMONSTRATIVA AGRADECENDO


se o que digo se entender em óbvio

como dizer-vos o que por elas embora levados

só no para-além das palavras é possível expressar?

 

não fui eu a inventar

nem a hipótese deste para-além nem a sua arte

encontrei-as no caminho nem sequer foi em casa

 

foi no caminho como disse e num tempo

em que tinha pernas para caminhadas sem canseira nem destino

 

um tempo sem diferenças entre subir e descer em íngremes picos

ou vencer distâncias nos longes do caminho chão

 

em tudo os olhos se perdiam numa espera de ver um mais

em para além do ao pé reclamante

de uma evidente intransponibilidade dos curtos horizontes

 

hoje sem pernas e sem tempo como havia de manter viva

a arte de entender-me no para-além das palavras

se não recebesse em locomotiva o estímulo da vossa generosa atenção

assim demonstrativa do mais para ver no que digo?

 

R. V.

2 comentários:

  1. Podes não ter pernas para andar pelos picos mas nas palavras vais para além deles.
    Abraço.
    o.

    ResponderEliminar
  2. Que belas palavras e que bem se entretecem. Se por vezes vêm carregadas de mar, outras levam-nos por montes e vales, atravessam o horizonte, trazem-no até nós.

    Um feliz Ano Novo!

    ResponderEliminar