quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

MAR EM SORTE – III

o mar que tome por ilha uma roda alargada de amizades em sorte há-de colher de lágrimas comovidas o sal mais precioso para as ondas com que vai beijar a beira da maré


clip_image002[4]
Do blogue UM JEITO MANSO


quem não soube de mar por ondas mesmo com mar manso bravias talvez não possa acreditar que o sabor que elas deixam se grava para sempre na memória


clip_image004[4]
Foto de ONÉSIMO TEOTÓNIO ALMEIDA – FAJÃ DE S.JOÃO – Agosto.2011


como um dom pelo mar oferecido a durar na viagem de até ao fim do futuro mar amigo ondulando para que em búzio se ouça numa roda alargada de amizades


R. V.

3 comentários:

  1. Comovida, agradeço. As suas palavras têm o mar lá dentro. E eu que gosto tanto de mar.

    ResponderEliminar
  2. Eu cá costumo dizer que fora da vista do mar parece que me afogo.

    onésimo

    ResponderEliminar
  3. Percebo-te bem, Onésimo, mas há dias em que vê-lo à roda da ilha também me afoga, nesta falta de terra para onde fuja. E ele a subir, a subir...
    Estando no continente, ele é uma dádiva que se oferece ali, ao nosso anseio, mas na ilha,impõe-se-nos, aparece em cada curva do caminho, domina-nos. Demasiado.
    Abraços

    ResponderEliminar