sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

MAR EM SORTE – IV

image
Foto de URBANO BETTENCOURT – 14.Dez.2012

em perto por suas forma e cor a beleza natural florindo em meu olhar e em fundo o mar ainda e sempre o mar num agora a vê-lo por uma janela de inverno em sossego

como hei-de no pelo meio ignorar nem tanto os fios mas os postes que os suportam tão ofensivos à arte causando ofensa aos meus modos de crer na harmonia entre cultura e natureza

pergunto se merece a tolerância devida aos aprendizes de qualquer uma das artes o pequeno criador que a natureza em si e para si mesma por entre sua misteriosa maravilha de em processo existir veio a criar como de certo modo um filhote

em minha sorte de em toda a vida ver o mar como se de calvino mas sem desistência um senhor palomar talvez receba uma resposta de crente

o sorriso do crente no momento repetido de até ao fim aceitar que em criação da pura liberdade inteligente no seu breve tempo em pleno não seja amor a justiça e beleza o feito um e outra casados em bem

R. V.


P. S.
- Há sabor a excesso?
- Oh!, sim!
- Vamos dividir as culpas entre o que chega ao olhar e o olhar que se lhe achega?
Com a arte do por estes dias falecido grande mestre de sitar a oferecer para as culpas perdão?
http://www.youtube.com/watch?v=-KXk_8_8oLY

1 comentário:

  1. Há sabor a excesso?
    - Oh!, sim!
    - Vamos dividir as culpas entre o que chega ao olhar e o olhar que se lhe achega?


    Gostei particularmente deste diálogo.
    onésimo

    ResponderEliminar