sexta-feira, 23 de agosto de 2013

AGOSTO FORA


as coisas que são como deviam ser
às vezes também atrapalham
é como uma estrada que andava a ser pavimentada
vais por ela ganhas velocidade
finalmente até que enfim agora sim

pum! pum! pum!
pavimentação suspensa
os antigos buracos

ao passar ano após ano nas férias de agosto
cuidado cuidado
ziguezague ziguezague
já te habituaras cá estão eles tu todo animado
de repente sofres este aguenta praguejas duro schi! que berro!

apanhas o lado bom das coisas
sabes apanhá-lo contra a atormentada bicheza que bebe água
sempre a tirar o focinho e a olhar para os lados
sabe-se porquê é evidente a lei da sobrevivência no lado mau das coisas

essa mania de apanhar à partida o lado bom
sempre a acreditar que a inteligência manda melhor
está bem está bem

mas depois é assim
quatro pneus rebentados de uma só vez
olha salvou-se um dos carecas
são só três

R. V.

1 comentário:

  1. Não é mania de apanhar à partida o lado bom. É que do outro lado estamos inundados qb. A gente não o nega porque ele está lá, escarrapachado por tudo quanto é sítio. Mas tapa o nariz e avança em frente à procura de cor, sol, vida, outra coisa mais para riba, caramba!
    abraço.
    o.

    ResponderEliminar