quarta-feira, 11 de setembro de 2013

CARIL DE PEVIDES 1


POETA NÃO
Com perguntas a um cá-há por esta vez não lá...
dor estomacal
outra vez em mal
                                os gazes e ranho
                                arrancam cabelos
                                à disposição
comprimido à paz
quem é que mo traz?
a luta se ganho
a gazes e ranho
a quem agradeço
este alívio que peço?
dirás que no faço
da minha oração
em doente passo
poeta é que não?
poema é de nada
poema é de tudo
se a arte lhe é dada
                                   ou nisto me iludo?
R. V.

2 comentários:

  1. Depois do "Se me virdes com Lorca", aparece-me um prato de "Caril de Pevides".Há lá coisa mais prosaica do que uma pevide? Mas...

    "Poema é de nada
    poema é de tudo"
    nada fica mudo

    Na mão do RV
    caril de pevide
    vira poesia
    nada fica mudo

    "se a arte lhe é dada"
    o poema é tudo
    na mão do RV
    nada fica mudo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ISTO É TÃO...
      ALEGRA E É MUITO MELHOR DO TEXTO QUE COMENTA...
      OBRG
      MM

      Eliminar