sexta-feira, 27 de setembro de 2013

em minúsculas


 BeM
SaBeS
uma noite
esta noite

esta noite precisamente
a nada nos dizer que depois a lembre

a falta que isso nos fará
ou ''ri-te''

R.V.



terça-feira, 24 de setembro de 2013

em minúsculas

   BeM
SaBeS
de onde me encarcero
                                   teu amor me liberta
                                                               r.v.

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

AINDA É HOJE (1)


QUANDO ACONTECE

O meu desprezo pela espécie humana nasce e cresce a partir de factos, por mais que depois se acomode entre emoções.

O respeito e a paixão, esses apoiam-se em razões, nascem dos afectos, consolidam-se na necessidade, mas precisam mais e muito de alimentar-se do que acontece.

O que acontece!
Antes que passe!

R. V.

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

11 de Setembro - ANTERO - A Paixão na Morte


A escolha aos quarenta entre o poeta e o filósofo, obediência à radical paixão
que santificou a vida e deu à morte a lógica serena.
A generosa e inteira paixão pela Humanidade.
Humanidade em progresso, educada, instruída, libertada.
A Humanidade da Justiça, de toda a Verdade, de toda a Beleza, de todo o Bem.
É tão difícil à lógica fundamental da vida dominar a lógica da razão quando a lucidez da grande inteligência fixa em abismo uma total desilusão de uma paixão de altitude celeste...
Entre enviar a carta do regresso definitivo de S. Miguel e a compra da arma naquela manhã de 11 de Setembro de 1891, a escolha de escritos a regressarem com ele? E foi aí? Terá sido? Não foi?
Já o avô antes de morrer queimara os seus poemas...
Dez anos de vida e sempre a lutar contra os males de saúde e...
Uma paixão, uma desilusão, dois tiros na boca.
11 de Setembro o dia do Respeito, simplesmente respeito, sem adjectivos. Pena? Pena de se ter perdido um tesouro maior. Contra o fogo em papeis de autor. Nunca queimar! Que se enterre! Queimar é que nunca.
11 de Setembro, o Dia do Respeito, desde, em Verão, o ano de 1951.
R. V.

CARIL DE PEVIDES 1


POETA NÃO
Com perguntas a um cá-há por esta vez não lá...
dor estomacal
outra vez em mal
                                os gazes e ranho
                                arrancam cabelos
                                à disposição
comprimido à paz
quem é que mo traz?
a luta se ganho
a gazes e ranho
a quem agradeço
este alívio que peço?
dirás que no faço
da minha oração
em doente passo
poeta é que não?
poema é de nada
poema é de tudo
se a arte lhe é dada
                                   ou nisto me iludo?
R. V.

terça-feira, 10 de setembro de 2013

CONCORDÂNCIAS



SE ME VIRDES COM LLORCA

Vine a este mondo com ojos
y me voy sin ellos.
Señor del mayor dolor!

Amigos por quem perguntais
aos meus ouvidos surdos?
Señor del mayor dolor!

Ai! a memória! E se não mais
com recordação do vosso rosto
da vossa voz
do vosso riso?
Señor del mayor dolor!

Vossa amizade em sinais!
Ao confortarem-me a sombra
vou falando gratidão
y no me voy sin ellos.
Paciente espero mo concedas,
Señor del mayor dolor!

R. V.

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

4 de Setembro . CULSETE-40 anos



CULSETE-40 ANOS
Constituiçao: 7.Julho.1973
Aquisição daCuldex: 4.Setembro.1973
Abertura ao público: 1.Outubro.1973

Continuando a comemorar com os seus leitores e amigos o 40.º aniversário, a Culsete está neste momento a organizar, com o precioso e imprescindível apoio de José Teófilo Duarte, uma exposição subordinada ao tema OLHARES SOBRE A LIVRARIA, onde várias personalidades que trabalham em áreas artísticas simultaneamente díspares mas próximas como a banda desenhada, a fotografia, a ilustração, a pintura, o design, se prestaram a deixar ver o seu olhar sobre a livraria. Em simultâneo, serão mostradas fotos e outros materiais inéditos do acervo privado da Culsete, nunca antes dados a ver. São propostas de distintos e polissémicos olhares que pretendem provocar leituras várias. Quanto aos nomes dos artistas, serão divulgados oportunamente.
Esperamos ter despertado a vossa curiosidade sobre a Exposição OLHARES SOBRE A LIVRARIA. Queremos encontrar-nos convosco no próximo dia 13 de Setembro, sexta-feira, às 18:30 horas na Casa da Cultura, em Setúbal, para a inauguração da exposição. Haverá espaço para sorrisos, conversas e, quem sabe, algo mais.
F.R.M./M.M.

terça-feira, 3 de setembro de 2013

BUZIO


FAJÃ DE SETEMBRO

se me lembro
de setembro

comem-no por inteiro
minhas uvas de cheiro

R.V.

domingo, 1 de setembro de 2013

CONCORDÂNCIAS


adoração universal tu com todas as coisas todas as coisas contigo num momento de noite silencioso até ao infinito do olhar e do ser

os pontos luminosos constroem para a expansão do sentir concordantes distâncias tudo num assim de não para quem mas com quem

no exílio confirmado de incertezas conforta-me a serenidade do momento silencioso da noite em libertador dos presos de si mesmos

R. V.